25 de maio de 2012

Família Restart!

Para mim, isso sim seria uma "família Restart" (colorida) como a banda dos guris, mas de verdade uma família! :)

12 de maio de 2012

Sobre o Dia das Mães e da "Regulamentação da Profissão"

Amanhã é dia 13 de maio - Dia das Mães.

Clichê das Casas Bahia é dizer que dia das mães é todo o dia, que a mãe da gente se dedica o ano inteiro, a vida toda e que enfim ... todos os dias devemos reverenciar as nossas mães, e sermos reverenciadas igualmente.

Outro clichê é falar que o dia das mães existe para VENDER, afinal, quem é que não tem mãe? Então o presentinho sempre tem saída e faz girar a nossa economia.

Diante de tantas repetidas reflexões, acabamos por esquecer que nem toda mulher nasce para ser mãe. E, que existem aquelas que, tentam, mas necessitam de muita ajuda para conseguir razoavelmente, atuar na área. E, por fim, existem aquelas que são mães biológicas porque a natureza assim quis, mas que os filhos acabam sendo criadas por verdadeiras profissionais da área (mães adotivas).

Uma vez, uma amiga minha disse que achava ser necessária a leitura de um Manual de Instruções a quem quisesse ser mãe, e só depois de uma prova de aptidão (um Exame de Ordem das Mães) a pessoa estaria autorizada a ter filhos. Isso me fez refletir a vida toda, até ser mãe de verdade e constatar que, muita coisa a gente faz por intuição materna, mas outras tantas a gente faz por repetição do que tivemos e vivemos em casa, com nossas próprias mães ... Mas S.A.B.E.R. efetivamente o que estamos fazendo ... ahhhh ... isso são outros quinhentos!

Por isso, pensei que, como verdadeira PROFISSÃO que é, a função de mãe deveria ser regulamentada da seguinte maneira:

1) Só podem ser mães, as mulheres que já estiverem e sentirem-se preparadas psicologicamente para amar outra pessoa (seu filho) mais do que a si mesma, para sempre.

2) Só podem ser mães, as mulheres que saibam abrir mão de suas próprias necessidades e que possam duplicar a sua agilidade de raciocínio, paciência e equilibrismo.

3) Só podem ser mães, aquelas que possuam gosto pela arte abstrata e que não se importem com sujeira, desordem, meleca, fralda suja na hora errada, revistas rasgadas na página mais importante e que gostem muito, de desenhos animados e programas e apresentadores bobos.

4) Só podem ser mães, as que com muito amor conseguem impor disciplina e educação aos seus filhos, sem torna-los pequenos tiranos (Içami Tiba disse!).

5) Só podem ser mães, as que compreendem que os filhos são criados para o mundo, e por isso os preparam para enfrentar com coragem e persistência os obstáculos que lhe são impostos.

6) Só podem ser mães, as que realmente criticam as atitudes erradas de seus filhos, aconselham e mostram quais os reais valores da vida, como o respeito, a humildade, a solidariedade, a educação ...

7) Jamais, nunca, em hipótese alguma se deve ser mãe para "segurar" relacionamentos, status ou garantir "bolsas famílias". Deveria ser terminantemente proibido que mulheres usassem seus filhos para garantias pessoais, essas poderiam perder suas aptidões biológicas de procriar.

8) A mulher que quisesse muito, muito, muito ser mãe mas não pudesse por condições biológicas, receberia em doação as aptidões biológicas da mulher do item anterior.

9) As mães não deveriam adoecer. NUNCA.

10) Por fim, todas as as mães dedicadas e que cumprissem as regras gerais deste regulamento deveriam ser ETERNAS.

É lógico que essa regulamentação ainda precisa e merece revisões.
Aceito sugestões para que possamos implementá-la para o dia em que eu for eleita ... rsrsrs ...

Esse post vai em homenagem à minha mãe, que não é colorida como a da propaganda ... mas é Rosa!